Fatores que podem induzir erros nos valores laboratoriais

  • 12/04/2017

Fatores que podem induzir erros nos valores laboratoriais

                Existem numerosos fatores que podem levar a erros nos resultados dos exames laboratoriais e que podem afetar a interpretação das condições clínicas dos animais. Eles devem ser considerados sempre que o resultado do exame não fizer sentido ou não tiver correlação com o estado clínico do animal. Esses fatores podem ser classificados em erros pré-analíticos e analíticos. Os erros pré-analíticos são os mais comuns e podem ocorrer devido a numerosos problemas relacionados com a coleta e o manuseio da amostra. Os erros analíticos são os que ocorrem na metodologia do exame e podem dever-se à interferência de uma substância ou de um fenômeno na amostra ou algum problema no desempenho do método do exame. Atualmente, tais problemas são raros e são geralmente detectados e evitados pelo programa de controle de qualidade que é desenvolvido pelo CIVET.

Erros no manuseio da amostra

                Diversos fatores pré-analíticos podem resultar em erros nos exames laboratoriais. O manuseio inadequado da amostra é a causa mais comum de erros nos valores dos resultados. São erros de procedimento que burlam as regras de manuseio relacionadas com a estabilidade da amostra ou outras variáveis do processo. Alguns dos erros mais comuns durante a manipulação da amostra nos estabelecimentos veterinários incluem:

• Erros na identificação da amostra, levando à atribuição de dados ao paciente errado

• Uso do anticoagulante errado

• Contaminação inapropriada na amostra com anticoagulante

• Proporção errada de anticoagulante em relação à amostra

• Transferência traumática do sangue para o tubo, causando hemólise

· Demora na transferência do sangue coletado ao tubo com anticoagulante, provocando coágulo sanguíneo

• Armazenamento inadequado da amostra antes da análise

·  Coleta de sangue com garroteamento inapropriado

• Amostra mal ou não homogeneizada para as mensurações hematológicas

Substâncias interferentes -  Lipemia, hemólise e icterícia

                Substâncias interferentes são fontes comuns de erros analíticos e estão presentes na amostra. Hemólise, lipemia e icterícia  podem alterar os resultados de exames bioquímicos. A hemólise refere-se à lise dos eritrócitos e à consequente liberação da hemoglobina, podendo ocorrer tanto no sangue circulante (in vivo) quanto durante ou após a coleta (in vitro). A hemólise ocorre geralmente devido à coleta e/ou ao manuseio inadequado da amostra. Ela pode interferir nos resultados dos exames pela interferência na cor em técnicas que utilizam a espectrofotometria. Com menor frequência, a hemólise pode causar falso aumento na concentração da substância que está sendo mensurada como resultado de concentrações ou de atividades enzimáticas marcantemente diferentes entre o soro e os eritrócitos. Por exemplo, bovinos e equinos têm altas concentrações de potássio dentro dos eritrócitos, enquanto cães (com algumas exceções) e gatos, não. Portanto, um quadro acentuado de hemólise pode resultar em falso aumento da concentração sérica de potássio em equinos e bovinos, mas não na maioria dos cães e dos gatos. Exames de ALT, creatinina, FA e uréia podem ter seus valores diminuídos quando a análise é realizada com soro hemolisado.

                A lipemia causa visível turbidez do soro, tornando-o geralmente opaco à luz transmitida. É esperado que isso ocorra em pequenos animais que não estejam em jejum antes da coleta. Também pode ocorrer em síndromes hiperlipêmicas. Essa interferência na transmissão da luz pode afetar os testes espectrofotométricos, particularmente em sistemas líquidos ou cubetas, sendo que na maioria dos casos, não é possível realizar o teste. Também pode resultar em aparente diluição de substâncias normais (p. ex., eletrólitos) no componente aquoso do soro, resultando em concentrações falsamente diminuídas (efeito de exclusão iônica).

                O aumento das concentrações séricas de bilirrubina, que levam a um quadro de icterícia, resulta em soro com coloração amarela mais escura do que o normal. Essa cor mais forte pode afetar os resultados dos exames espectrofotométricos. As potenciais alterações nos resultados de exames bioquímicos causadas pela presença de hemólise, lipemia e icterícia variam com a substância sendo pesquisada e com o método utilizado para o exame. Geralmente, os laboratórios de referência podem fornecer informações específicas a respeito dos efeitos da hemólise, da lipemia ou da icterícia acerca dos resultados dos exames. É concebível, também, que medicamentos e outras substâncias químicas possam alterar as reações dos exames laboratoriais.

                               Portanto, é fundamental que a coleta, armazenamento e envio do material seja realizada de uma forma adequada, para que se evite qualquer erro nos exames que serão realizados, pois em materiais que estão hemolizados, lipêmicos e ictéricos, pode haver alterações nos resultados dos testes. O laboratório CIVET está a disposição de todos os parceiros para sanar quaisquer dúvidas a respeito de como o material deve ser enviado ao laboratório.